Notícias

Secretaria de Saúde de Guarapuava inicia campanha de vacinação contra a gripe

25/03/2024

As vacinas estão disponíveis para todos os grupos prioritários nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Centro Municipal de Vacinação.

 

Nesta segunda-feira (25), a Prefeitura de Guarapuava, por meio da Secretaria de Saúde, deu início a campanha de vacinação contra a gripe (influenza), seguindo o calendário estabelecido pelo Ministério da Saúde.

 

“Nós estamos enfatizando a importância de todos se imunizarem para não termos caso de agravamento, de internações, ou até mesmo de mortalidade. Nós já temos a vacina disponível para o grupo prioritário, tanto nas unidades quanto no Centro Municipal de Vacinação. Convidamos toda a população para que possam ser atendidos por toda a nossa equipe que está disponível e pronta para atendê-los”, destacou a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Bruna Tembil. 

 

O imunizante é trivalente, protegendo a população contra os três principais vírus em circulação da influenza. Na primeira remessa, Guarapuava recebeu 6.800 doses da vacina, direcionadas aos grupos prioritários, que correspondem cerca de 68.000 cidadãos. O Município deve receber as novas remessas da vacina em breve.

 

“A vacinação começou um pouco antes do esperado para que o vírus não tenha maior circulação. É muito importante que todos procurem sua Unidade de Saúde mais próxima para realizar esta vacinação. Pedimos que estejam com os documentos com foto em mãos. Quem não tem o cadastro completo ainda, procure a Unidade de Saúde mais próxima de sua casa e faça o cadastro completo com seu cartão SUS para que os dados sejam registrados de maneira correta nos programas do Ministério da Saúde”, explicou a chefe da Divisão Epidemiológica de Guarapuava, Ana Beatriz Dellê.

 

As vacinas são aplicadas em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Além disso, são realizadas também no Centro Municipal de Vacinação (antigo CISGAP), localizado na Rua Presidente Getúlio Vargas, número 1523, no Centro, de segunda-feira à sábado, das 8h às 17h.

 

Para receber o imunizante, é preciso ter em mãos um documento com foto e o Cartão SUS (Sistema Único de Saúde), além da Carteira de Vacinação. Em caso de crianças que ainda não possuem essa documentação, o responsável deve apresentar a Certidão de Nascimento.

 

Para aqueles que não podem se vacinar durante o dia, basta se dirigir à UBS com horário estendido mais próxima, até às 21h. Estas unidades são: Planalto, Morro Alto, Xarquinho II, Vila Carli, Vila Bela e Bonsucesso.

 

Patrícia Bernardi, mãe de Lorena Bernardi, de um ano de idade, levou sua filha ao Centro Municipal de Vacinação, e ressalta a importância dos imunizantes para as crianças, especialmente nesta época. “Eu acho muito importante esta campanha para nós, que somos responsáveis pelos pequenininhos e que temos crianças na escola, porque a imunidade deles é um pouco mais delicada. Então eu, como mãe, nesta época do ano, acho muito importante fazermos a vacinação. Recomendo a todos, como eu, a vacinar os seus pequenos”, declarou.

 

Terezinha Mendes, de 74 anos, também está ciente dos benefícios da vacina a todos, inclusive aos grupos prioritários. “A vacina é muito importante para eu me prevenir. Até posso ficar com gripe, mas já vão ser evitadas muitas complicações que atingem muitas pessoas, ainda mais pessoas com a idade mais avançada. Então, temos que procurar ficar mais forte, para termos uma vida melhor. A minha parte eu já fiz, e espero que todos façam para terem saúde e evitarem complicações”, relatou.

 

No dia 13 de abril, será realizado o “Dia D de Vacinação”, com o intuito de obter uma adesão maior aos munícipes. “Será o Dia Estadual de Imunização Contra a Influenza. Todas as nossas unidades estarão abertas das 8h até às 17h, acolhendo a população que não tem disponibilidade de horário e que só conseguem ser vacinados no final de semana”, grifou Bruna.

 

Fazem parte dos grupos prioritários:

 

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;

– Crianças indígenas de 6 meses a menores de 9 anos;

– Trabalhadores da Saúde;

– Gestantes;

– Puérperas;

– Professores dos ensinos básico e superior;

– Povos indígenas;

– Idosos com 60 anos ou mais;

– Pessoas em situação de rua;

– Profissionais das forças de segurança e de salvamento;

– Profissionais das Forças Armadas;

– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (independentemente da idade);

– Pessoas com deficiência permanente;

– Caminhoneiros;

– Trabalhadores do transporte rodoviário coletivo (urbano e de longo curso);

– Trabalhadores portuários;

– Funcionários do sistema de privação de liberdade;

– População privada de liberdade, além de adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas (entre 12 e 21 anos).